A CÂMARA APOIA ESTA CAUSA! (02/10/2017)

O décimo mês do ano é de conscientização das mulheres pelo diagnóstico precoce do câncer de mama. Quanto mais cedo a doença for encontrada, maiores serão as chances de cura. A mamografia ainda é a melhor forma de fazer isso. Quem tiver entre 40 e 69 anos deve procurar uma unidade de saúde para realizar o exame.


O “Outubro Rosa”, como é conhecido o movimento, é referente ao laço rosa que simboliza, mundialmente, a luta contra o câncer de mama. A mobilização começou nos Estados Unidos no começo da década de 90, com algumas ações isoladas.

 
Atualmente, a ação acontece em várias cidades ao redor do mundo e é direcionada à conscientização das mulheres. Para chamar mais a atenção das pessoas monumentos, como a Torre Eiffel e o Cristo Redentor são iluminados por uma luz rosa. Algumas paisagens ao redor do mundo também ganham a cor rosa durante o mês de outubro, como é o caso das cataratas do Niagara, no Canadá.


Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer de mama é o mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, depois do de pele não melanoma, totalizando 25% dos casos novos a cada ano. A estimativa do instituto é de que mais de 57 mil pessoas sejam descobertas com a doença no Brasil. Quando o diagnóstico é feito no início as chances de cura chegam a 90%.

 

Prevenção


Outubro Rosa é uma campanha de conscientização que tem como objetivo principal alertar as mulheres e a sociedade sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama. Esta campanha acontece com mais intensidade no mês de outubro e tem como símbolo o laço cor de rosa.


Em geral, a campanha em meios publicitários ou em atividades dentro de empresas tem um foco grande no autoexame, mas especialistas do ramo médico alertam que ele não é suficiente para a detecção precoce da doença. Tocar o próprio corpo e reconhecer sinais de possíveis mudanças é uma importante ferramenta de empoderamento da mulher frente à própria saúde, mas não substitui a mamografia, por exemplo.